Por Jean Felipe à Epic Play —

A Bethesda Softworks pegou todos de surpresa com uma prévia e divulgação do trailer promocional sobre o novo Fallout 76. No vídeo, ao som de Take Me Home, Country Roads do artista John Denver, é possível logo de cara se ter uma ideia de onde se estabelecerá o jogo com trechos citando a Virgínia Ocidental, um dos 50 estados dos EUA.

Se você se atentou a isto e passou despercebido por outros 13 detalhes baseados neste trailer, este artigo vem com uma pegada do personagem Sherlock Holmes pra saciar sua curiosidade sobre.

O engraçado é que Fallout 76 já era anteriormente especulado devido a vazamentos feito por usuários nos websites 4chan e Reddit, juntando elementos de que o lançamento seria bastante parecido com Rust, um jogo online de sobrevivência disponível na Steam com foco em construção de bases. E após o trailer divulgado, Jason Schreier do website Kotaku deu um banho de água fria avisando para não se desapontarem esperando por um RPG de um jogador.

https://twitter.com/jasonschreier/status/1001832458164285442

O usuário do 4chan responsável por afirmar Fallout 76 também confirmou o lançamento de Fallout 3 Anniversary, talvez sendo uma medida da Bethesda em saciar os fãs por um Fallout “não-online”.

Funcionários que não ficam quietos

Não temendo pelo seu emprego, 3 fontes familiarizadas com o projeto passaram anonimamente informações a jornalistas do Kotaku e Polygon. Seguindo o que há de relevante, eles afirmam que tal seria uma versão multiplayer do Fallout 4, posteriormente se tornando Fallout 76. O jogo é baseado fortemente em DayZ e Rust já famosos na Steam pelo seu gênero em comum, de sobrevivência online.

O foco no desenvolvimento era visionar como um Fallout online deveria ser. Ainda terão missões e uma história como “qualquer outro jogo” da Bethesda Game Studios, conhecida também pelo famoso The Elder Scrolls: Skyrim. Porém, vai destacar a construção de bases — assim como foi apresentado em Fallout 4 — com outras mecânicas de sobrevivência e modo multiplayer. E ainda alertaram que a jogabilidade está mudando rapidamente no desenvolvimento, mas esse é o esboço principal.

O jogo está sendo desenvolvido no escritório principal da Bethesda em Maryland e seu novo estúdio formalmente conhecido como Battlecry Studios em Austin no Texas. A equipe de Austin era conhecida por trabalhar em um jogo online chamado BattleCry que foi cancelado pela Bethesda. A mesma afirmou à imprensa em 2015 que eles estavam “avaliando quais melhorias o jogo precisava” para atender aos seus “padrões de qualidade” em relatório. O estúdio foi comprado integralmente algum tempo depois pela dona de Skyrim, talvez resultando em Fallout 76.

A história de Fallout 76

O jogo parece focar no Vault 76, um refúgio já citado anteriormente de forma extensa na franquia. Lá, teriam 500 ocupantes em um sistema programado para os mesmos serem liberados 20 anos após a grande guerra nuclear que destruiu parte do mundo em 2077, na linha temporal de Fallout.

De acordo com citações, o Vault 76 é um refúgio diferente dos outros. Lá as pessoas não foram submetidas a experimentos bizarros, sendo listada no terminal da Citadel em Fallout 3 como um refúgio de “controle”, dentre 17 outros conhecidos. Ou seja, eram refúgios usados para usar de comparação aos que recebiam experimentos dos mais diversos. Em Fallout 4, o mural de notícias no prólogo menciona o Vault 76 que estava sendo estreado em 2076 em homenagem ao tricentenário dos Estados Unidos, também discutindo-se planos de expansão da Vault-Tec, a empresa responsável pelos refúgios. Em Mothership Zetta, uma expansão de Fallout 3, o Vault é até mencionado em um dos registros em um cativeiro alienígena por um oficial da Vault-Tec, Giles Wolstencroft, que foi sequestrado enquanto inspecionava o local de construção do refúgio.

Sobre os experimentos que os ocupantes dos refúgios eram submetidos, dentre as 122 Vaults construídas e espalhadas pelos Estados Unidos, em 105 as pessoas eram expostas a experimentos sociais ou exposições a vírus, testes científicos, dentre outros. Apenas os outros 17 já citados tinham a real proposta de proteger seus habitantes, sem truques ou artifícios pela Vault-Tec.

E um detalhe importantíssimo que se passou despercebido por alguns no trailer promocional de Fallout 76 está nesta imagem do Pip-boy:

A data marcada é 21 de outubro de 2102.

São 25 anos após a guerra nuclear. Basicamente, o Fallout precursor a qualquer outro até então, se não for contar os momentos iniciais de Fallout 4 que eram antes dos bombardeios, na pré-guerra.

As especulações

Além do que é “certo”, alguns detalhes passaram despercebidos por muitos no trailer promocional divulgado de Fallout 76. Então, recolhi os mais importantes que encontrei:

  • O “dia da reclamação” (Reclamation Day em inglês) demonstrado deve ser sobre o dia em que os habitantes do refúgio saem do mesmo e reivindicam a América;
  • Basicamente veremos os Ghouls e outras mutações em seu estado inicial. Em outros jogos de Fallout é citado próximo a este ano, como a aparição de algumas das primeiras super mutações;
  • Usa modelos idênticos a Fallout 4, desde mascotes do Nuka World, robôs, até o assustador “macaco espacial” na beirada da cama, então deve ser o mesmo motor gráfico/engine;
  • Dado os bonecos e brinquedos no quarto demonstrado, é fácil presumir que o personagem controlado pelo jogador entrou no refúgio quando criança;
  • Os troféus curiosamente apresentados vem com premiações a “comer a carne que ninguém queria”, banheiro mais limpo, melhor corte de cabelo, etc… O que mais chamou atenção é o de programa de reclusão com os dizeres “Em reconhecimento ao seu comprometimento e dedicação ao nosso programa de isolamento. Sacrificando muitos para que alguns possam viver”.

Resumidamente, sobre este último. Se o Vault abriu em 20 anos e o personagem está nele vazio, 25 anos após o seu “fechamento” para abrigo, pode ser que tenha algo haver com um isolamento de sua parte no mesmo. Quem sabe?

Um pouco de tudo o que vimos nos jogos anteriores da franquia pela Bethesda também está incluso no trailer, quase como uma referência comemorativa. Vemos também uma TV, desta vez a cores, onde a entrada do Vault 76 é apresentada com os dizeres: “Pois quando a luta terminar e a poeira radioativa se assentar, você deve reconstruir. No refúgio 76, nosso futuro começa agora”.

‘Minecraft online’ pós-apocalíptico?

Esta citação no trailer pode afirmar que os jogadores vão literalmente reconstruir o mundo. Não é como nos outros jogos estabelecidos 200 anos ou mais após a grande guerra, que já há civilizações e meios de sobrevivência pré-estabelecidos. É como se nós tivéssemos que lutar, e quando o caos abaixar, devemos sobreviver e reconstruir.

Em minha opinião, não sei o que presumir quanto a tudo isso. Não fui um grande fã do rumo que a franquia começou a tomar em Fallout 4 com os “settlements”, a procura incessável de recursos, missões repetitivas e pouca base no horror de sobrevivência e interação imersiva com os outros personagens que foi apresentado em Fallout 3 ou Fallout: New Vegas, este segundo produzido pela maravilhosa Obsidian Entertainment, responsável por títulos como South Park: Stick of the TruthStar Wars Knights of the Old Republic II.

Essa parece ser uma nova era para Fallout e estou confuso se vou entrar de cabeça ou não como fiz na geração anterior. Mas, por via das dúvidas, já sei que a carne é fraca e vou preparar um mês de férias conforme o seu lançamento.

E vocês, conseguiram descobrir mais coisas? Como acham ou querem que seja o jogo? Deixe nos comentários o que esperam de Fallout 76.

Fallout 76 já é listado em varejistas americanos para pré-venda por $59.90.

Written by
Jean Felipe é diretor-geral e fundador da Epic Play. Você pode acompanhar mais sobre o seu trabalho no YouTube ou pode realizar doações para o desenvolvimento de projetos.

Esqueci a Senha

Entre com seu nome de usuário ou e-mail. Você receberá pelo seu e-mail registrado um link que lhe criará uma nova senha.