Por Victor Miller em janeiro de 2019

Fortnite é uma das “febres do momento”, com impressionante popularidade e sendo o principal jogo do gênero battle royale. A ideia é ter 100 jogadores em um local e no fim restar apenas um, que será o grande campeão. Para isso, ele terá de recolher materiais, construir torres, coletar armas também. O game é gratuito com o sistema de microtransações, mas estes são apenas cosméticos e possuem pouca (ou nenhuma) relevância no gameplay.

Devido a sua popularidade, mais da metade dos usuários do Switch possuem o Fortnite instalado em seus sistemas, há mais de 130 milhões de jogadores espalhados por todas as plataformas e o game rende centenas de milhões de dólares mensalmente em receita.

No entanto, toda repercussão grandiosa gera polêmicas tão grandiosas quanto. Por isso, decidimos selecionar cinco polêmicas envolvendo o Fortnite.

1 – Seios de personagens com física “realista demais”

A personagem Cowgirl, ao executar o emote Jubilation, teve um movimento dos seios que acabou causando polêmica na internet pelo alto nível de sexualização. Na época, a Epic Games concedeu uma entrevista ao site internacional Kotaku alegando que não foi intencional.

“Isso não foi intencional. Estamos envergonhados pela nossa negligência por ter deixado isso passar. Estamos trabalhando agora mesmo para corrigir isso o mais rápido possível.”

O fato repercutiu negativamente na internet para muitos, enquanto outros tantos fizeram graça com memes. Em poucos dias, a Epic lançou uma atualização corrigindo o “problema”.

2 – Processos por violação de copyright nas danças

Volta e meia alguém processa a Epic Games por violação de copyright referente a dança de vitória dos personagens, conhecida no game como Emote. Um dos casos mais lembrados foi o do ator Alfonso Ribeiro, o Carlton de “Um Maluco no Pedaço”, afirmando que a dança Fresh é uma clara referência ao seu eterno personagem.

“A Epic teve retorno financeiro dos conteúdos por download no game, incluindo emotes como ‘Fresh’. Além disso, a Epic falhou em compensar ou até mesmo pedir a permissão ao Sr.Ribeiro para usar sua propriedade intelectual”. – disse o advogado dele ao canal TMZ.

Outro caso bastante famoso foi o do rapper Russell “Backpack Kid” Horning, que criou a dança Floss, sendo que esta teria sido utilizada indevidamente em Fortnite.

3 –  PUBG Corp processou a Epic Games por plágio

Em maio de 2018, a PUBG Corp entrou com uma ação judicial contra a Epic Games por violação de direitos autorais por este game utilizar o gênero battle royale que, originalmente, foi inventado para o PlayerUnknown´s Battlegrounds. Na época, muitos acreditaram que o processo se deu para “abafar” a popularidade de Fortnite, já que este estava começando a superar, em número de jogadores, o PUBG.

No entanto,  poucos meses depois ela “voltou atrás” e desistiu do processo sob o argumento de que seria difícil de provar a questão do plágio, já que o Fortnite utilizou ideias do PUBG, porém ambos os games são bem diferentes entre si.  Além disso, a chinesa Tencent tem ações em ambas as empresas, mesmo que minoritário, e a própria PUBG Corp desenvolveu seu game sob a Unreal Engine, criada pela Epic Games.

4 – Epic Games processa menor de idade por cheats


O contrário também já aconteceu: a Epic Games iniciou uma série de processos contra diversos jogadores que usavam cheats no Fortnite. Curiosamente, um dos processados foi um menor de idade com apenas 14 anos, despertando a fúria da mãe dele que alegou em entrevistas que o problema foi lidado de modo “muito desproporcional”.

Segundo ela, em carta enviada ao tribunal, o contrato estabelecido para o game não tem vinculação jurídica e , portanto, um menor de idade precisaria da autorização de um adulto para isso, algo que não ocorreu, já que ela em si não foi consultada. Fora isso, o filho dela estava sendo apenas um “alvo” para que outros jogadores não repetissem o que ele fez e, por fim, ela alega que a empresa violou as leis do estado de Delaware (nos EUA cada estado tem suas próprias leis) ao divulgar publicamente informações referentes ao filho dela.

Já a Epic, deu suas razões para o processo em um e-mail enviado a Kotaku – “Esse processo em particular resultou do fato do acusado ter preenchido um contra pedido de DMCA a uma notificação de derrubada de um vídeo do YouTube que mostrava e promovia cheats e falhas de Fornite battle royale. Sob essas circunstâncias, a lei exige que iniciemos um processo ou desistamos do pedido”.

5 – Espada apelona


Um pouco mais leve que as anteriores, a espada Infinity Blade era para ser uma das grandes atrações da atualização 7.0.1 de Fortnite, porém acabou rendendo bastante polêmica na comunidade por dar vantagens desproporcionais aos seus usuários, já que ela não possuía uma maneira efetiva em ser contra-atacada.

Eventualmente, a Epic Games lançou um patch de correção, diminuindo seus atributos, mas não funcionou, então eles tiraram completamente para que as partidas voltassem a ser balanceadas.

Esqueci a Senha

Entre com seu nome de usuário ou e-mail. Você receberá pelo seu e-mail registrado um link que lhe criará uma nova senha.