Por André Eduardo Ruschel à Epic Play —

Quando criança lembro de lojas e supermercados com o Mega Drive, da Tec Toy, ligado a uma televisão com volume alto para atrair a atenção dos clientes. O que realmente acontecia, já que aquelas imagens, até aquele momento, eram possíveis apenas nos chamados fliperamas, locais que muitas vezes nossas mães não gostavam quando íamos com certa frequência. Certamente, Altered Beast foi o primeiro contato que muitos tiveram com aquele novo console, jogo este amado por uns e odiado por outros.

Esta foi a primeira imagem que muitos donos do Mega Drive viram em suas casas após receber este grande presente dos pais. (imagem do arcade).

Altered Beast é um jogo do gênero beat ‘em up, desenvolvido pela SEGA (Team Shinobi) e publicado pela SEGA. Lançado originalmente em 1988 para arcades, recebeu inúmeras conversões, inclusive naquele mesmo ano para o Mega Drive, sendo esta a versão avaliada nesta análise.

Curiosidade : Na primeira fase de Altered Beast temos um ‘easter egg’ interessante, trata-se de túmulos contendo os nomes de Alex Kidd e sua namorada Stella. Alguns brincam dizendo que a Sega estava dando um sinal do futuro de seu querido mascote. Vale ressaltar que na versão de Mega Drive, avaliada nesta análise, vemos apenas o nome de Stella. Já na última etapa existem outras duas referências interessantes, em meio aos corpos em sofrimento, temos as imagens da escultura ‘O Pensador’, de Auguste Rodin, e do quadro ‘O Grito’, de Edvard Munch.

Os Bastidores de Altered Beast

Makoto Uchida, diretor de Altered Beast

O diretor e, também, considerado pai de Altered Beast chama-se Makoto Uchida. Responsável por vários jogos de sucesso da Sega nos anos 80 e 90, uma de suas principais características está no fato de seus games possuírem influência direta em filmes de seu gosto. Por exemplo: Golden Axe veio diretamente de Conan, O Bárbaro; Alien Storm, com suas armas ligadas em suas mochilas, cenário urbano e músicas pop ao estilo Os Caça-fantasmas; e Dinamite Deka com inspiração em Duro de Matar.

Assim sendo, qual seria a principal influência na criação de Altered Beast? Na verdade foram várias. Os anos 80 estavam repletos de filmes de terror, incluindo alguns de sucesso envolvendo licantropia, como Um Lobisomem Americano em Londres, O Garoto do Futuro e A Hora do Lobisomem. Porém, os que mais provocaram a atenção de Uchida, foram as transformações que apareciam em Grito de Horror e no vídeo clipe Thriller, do músico Michael Jackson. Nas palavras do diretor: “Percebi ali que havia um esforço em retratar todos os detalhes da alteração de homem para lobisomen, então meu foco inicial foi de representar essas metamorfoses em animação gráfica usando a capacidade da placa System 16″.

O começo da aventura e da vida em 16 bits.

Determinar que o jogo seria do gênero beat ‘em up foi fácil, uma vez que o título Double Dragon fazia um sucesso incrível naquela época. Quanto ao enredo se passar na Grécia Antiga e ter como foco o resgate da deusa Athena, muitos fãs acreditam que a principal influência tenha vindo do anime Saint Seiya (Os Cavaleiros do Zodíaco), que atingia grandes audiências na televisão japonesa, porém, a SEGA nunca se pronunciou oficialmente quanto a este último.

Curiosidade : Em 1989, o Mega Drive estava chegando aos Estados Unidos e havia sido decidido que Altered Beast seria o jogo que acompanharia o console. Ao saber desta Informação, Uchida ficou muito feliz e não via a hora de fazer uma viagem até os Estados Unidos para poder ter acesso a este bundle que nunca foi lançado no Japão. Infelizmente o diretor do jogo não teve sorte: “Quando tive de ir aos EUA três anos depois, pensei comigo mesmo que deveria ir até uma loja para ver algum console com este jogo, mas não encontrei em lugar algum, apenas o Genesis com o cartucho do Sonic. Por isso, nunca pude ver esse pacote promocional”. Será que ele sabe que atualmente o console é vendido no Brasil com este jogo estampado na caixa?

O Bestiário de Altered Beast

Apesar de Altered Beast ser um jogo, essencialmente, curto, possui um bestiário com um grande número de inimigos. Para descrever aqui, acabei escolhendo seis deles. Quatro comumente encontrados durante as fases e dois chefes. Como pode perceber, todos possuem um aspecto amedrontador, o que nos faz lembrar dos filmes de terror que estavam em alta nos anos 80.

1 e 2. Slow Foot e Headless Horror: São os zumbis e, desta vez, não estamos falando em Resident Evil. Slow Foot é o inimigo mais simples de todo o jogo, anda em linha reta, com baixa velocidade e é derrotado facilmente, aparecem logo no começo da campanha. Headless Horror é sua evolução e, por alguma razão desconhecida, o zumbi básico aprende a dar socos quando passa a carregar sua cabeça em um dos braços, não é difícil de lidar com ele, bastando que o jogador atinja-o estando abaixado.

Slow Foot e Headless Horror

3. Chicken Stinger: Por ser pequeno, este inimigo exige que o jogador ataque próximo ao solo enquanto não possuir suas magias pós transformação. Sua investida se dá de forma rasteira e rápida com seu rabo. Aparece, inicialmente, na segunda fase do jogo.

Chicken Stinger

4. Cave Needle: Segundo o manual, trata-se de uma vespa mutante. Seus principais atributos estão no fato de serem rápidas e andarem em bandos. Aparecem na terceira fase do jogo e tendem a querer nos empurrar para dentro de buracos.

Cave Needle

5. Aggar: É o primeiro ‘boss’ do jogo e, provavelmente, depois do lobisomem, seu maior símbolo. Resumindo em uma palavra, o monstro é grotesco. Feito a partir restos de cadáveres em decomposição, lembra os chefes da recente franquia Dark Souls. Sua arma é atirar cabeças em nosso personagem. Não é muito difícil de se aprender a derrotá-lo, bastando desviar dos ataques verticais e atacar sempre que possível.

Aggar

6. Octeyes: É o segundo chefe de Altered Beast. Trata-se de uma planta gigante que dispara um número grande de olhos em direção ao nosso personagem. Seria uma chefe extremamente difícil, se não estivéssemos transformados em dragão e não houvesse um esquema bastante conhecido para derrotá-lo facilmente.

Octeyes

Curiosidade : Um dos inimigos de Altered Beast descritos acima reapareceu em Golden Axe, desta vez como montaria de ataque e renomeado de Chicken Leg. Não é muito surpreendente, visto que os títulos possuem o mesmo diretor.

O inimigo aparentemente acabou sendo domesticado.

As Fases de Altered Beast

O jogo possui 5 fases em sua campanha e após terminá-las, elas voltam do começo com uma dificuldade mais elevada. As etapas possuem uma pequena duração e todas tem ‘autoscrolling’, com a tela se movimentando automaticamente. Não vou descrever a quinta, para não exagerar nos spoilers.

  1. Cemitério e Acrópole de Hades: O início do jogo. Momento em que somos convocados por Zeus com sua clássica frase: “Ryse from your grave“. Aqui o jogo já começa com ritmo alto, com vários inimigos nos cercando por todos os lados. Se torna fácil depois que o jogador aprender a utilizar os controles dos personagens. Transformação: Lobisomem – é forte, com a possibilidade de atirar projéteis e avançar com um ataque capaz de “limpar” a tela. Chefe: Aggar.

Cuidado nas três direções já na primeira fase.

2. O Submundo: O cenário é um grande pântano com inimigos que surgem até mesmo pela parte de baixo da tela. Talvez seja até mesmo a fase mais fácil do jogo, não apenas por ter um chefe com um conhecido ponto fraco, mas também pela forma bestial do protagonista. Transformação: Dragão – simplesmente a forma mais forte do jogo, isto porque além de voar, nosso personagem tem um ataque de choque que o deixa invulnerável e ainda atinge os inimigos em área, não necessitando encostar diretamente nos adversários. Chefe: Octeyes.

A melhor forma bestial do jogo, dava gosto enfrentar os inimigos.

3. Cavernas das Almas: A dificuldade do jogo dá um grande salto nesta fase, não apenas por causa dos buracos, mas também devido a ter sua pior forma bestial. Transformação: Homem-Urso – sem dúvidas, a mais fraca de todo o jogo. Assim, você possui um ataque capaz de paralisar os inimigos e outro de fazer uma “bolinha” que pula de uma forma que é incapaz de alterarmos seu percurso durante o salto. Chefe: Moldy Snail.

Não bastavam inimigos por todos os lados, agora temos buracos também.

4. O Palácio de Neff: Pelo nome da fase já podemos perceber que o jogo não vai muito longe. Com uma quantidade maior de inimigos e estando todos mais ágeis, devemos prestar muita atenção de onde vem os ataques e os cachorros. Aqui, muitas vezes já é necessário decorar as posições dos adversários, para em uma próxima partida já sabermos os locais exatos das ações de nosso personagem. Transformação: Homem-Tigre – uma boa forma, já que é capaz de lançar um projétil e poder fazer um ataque vertical bastante útil, uma vez que temos uma quantidade considerável de inimigos voadores neste level. Chefe: Crocodile Worm.

Há um easter egg nesta imagem.

Curiosidade : O vilão de Altered Beast apareceu brevemente em Detona Ralph, filme de animação em 3D da Disney que homenageia muitos clássicos dos videogames dos anos 80 e 90. Abaixo segue a imagem.

Neff aparece no filme Detona Ralph

Análise Técnica

O enredo de Altered Beast é bastante simples e busca apenas mostrar a motivação para a aventura. Segundo o manual do jogo: “Você era um centurião romano, um bravo guerreiro que não conhecia o medo. E, ao morrer no campo de batalha, com coragem e honra, pensou que teria paz e descanso por toda a eternidade. Mas, quando o nefasto Neff, Senhor do Submundo, sequestrou a bela Athena, seu pai, Zeus, buscou um forte e bravo guerreiro para salvá-la. Ele escolheu você e o trouxe da tumba novamente para a vida! E como você se transformou em uma criatura mutante, Zeus lhe concedeu vários poderes sobrenaturais. (…) Agora você possuía o dom de fazer o que nenhum homem, vivo ou morto, havia jamais conseguido: lutar contra os demônios do Submundo e vencer!.” Enfim, Neff sequestrou Athena e Zeus mandou você resgatá-la.

Altered Beast foi um dos quatro jogos lançados para o Mega Drive em 1988, seu ano de lançamento, e tinha como principal função mostrar como seus concorrentes de mercado (Famicom e PC Engine) eram inferiores tecnicamente. A SEGA, sendo uma grande potência nos arcades, sempre teve a intenção de trazer seus títulos para dentro das casas a um preço justo. Este jogo conseguiu chegar bem perto disto, sendo uma ótima conversão, claramente com perdas mas, ainda assim, muito próximo de sua versão original.

Que tristeza que dava, nem deu para aproveitar a transformação e já apareceu o chefe.

Não é nenhum exagero dizer que, quando lançado, Altered Beast tinha os melhores gráficos já vistos para um console doméstico até aquele momento, mostrando claramente o potencial que o novo console da empresa possuía para acirrar a guerra de consoles que estava por vir. Os sprites são grandes, há efeitos de paralaxe (ausentes na versão arcade) e inimigos bem detalhados.

O tempo de duração do jogo é difícil de mensurar pois vai depender de como será jogado, ou seja, caso o jogador não utilizar continues ou outros artifícios, vai levar um tempo para terminar pela primeira vez, mas depois de descobrir os padrões dos inimigos, poderá terminá-lo em menos de 15 minutos. O fator replay é baixo, devido a extrema linearidade do jogo, o que acaba sendo motivado apenas pela possibilidade de ser jogado em modo multiplayer com um amigo.

A possibilidade do multiplayer colaborava para o fator replay do jogo.

O gameplay, caso não conheça, consiste em andar matando praticamente todos inimigos da tela e prestando atenção nos lobos brancos de duas cabeças que carregam com eles orbes (power-ups). Quando conseguimos três destas esferas nos transformamos em uma fera e adquirimos o direito de enfrentar o chefe da fase, caso cheguemos até ele sem ter a mutação completa, a fase segue. Caso encontremos Neff três vezes sem estar “pronto”, devemos lutar contra ele mesmo assim, e aí a coisa fica feia. O jogo possui cinco fases e quatro diferentes bestas para serem controladas. Entre as etapas há imagens que demonstram o destino triste que Athena está passando, o que inclui até rituais envolvendo crucifixos, o que é estranho já o que o jogo utiliza a mitologia grega como base.

Pequenas cenas entre as fases ajudam na ambientação.

Em sua essência, apesar de Altered Beast ser do gênero beat ‘em up, na prática se assemelha mais aos jogos de “navinha” (shoot ‘em up) do que a um Double Dragon ou Final Fight. Antes que pense que eu deveria ter feito o bafômetro antes de escrever esta análise, continue lendo. Em Altered Beast não basta apenas a habilidade de sair matando os inimigos desenfreadamente, aqui os power-ups são fundamentais para a sequência da aventura, assim como conhecer os padrões dos inimigos e saber exatamente o momento em que os lobos brancos aparecem serem obrigatórios para terminarmos o game. Decorar o que fazer e quando fazer é muito mais importante do que qualquer coisa neste jogo.

Nunca ficamos tão felizes de ver um inimigo. Obs: O lobo branco pode parecer azul.

A jogabilidade pode ser um tanto travada e sensível para os jogadores de primeira viagem, porém fácil de se acostumar em pouco tempo. Um destaque fica para as diferentes habilidades das formas de bestas que o personagem assume. A dificuldade vai depender se o jogador vai ou não utilizar continues e acréscimos em sua barra de vida, caso aceite o desafio de jogar no estilo “default”, passará por uma grande dificuldade até aprender todos os padrões dos inimigos e os pontos fracos dos chefes (que todos possuem).

A trilha sonora de Altered Beast é muito boa, sendo compostas por Tohru Nakabayashi, mesmo de Golden Axe. Ela exerce muito bem sua função, principalmente na primeira faixa, conhecida popularmente como ‘Rise From Your Grave’, que praticamente foi um hino do Mega Drive nas lojas do Brasil que rodavam o jogo tentando atrair consumidores. As músicas possuem um ar épico de aventura que trás bem a vontade de vencer. Os efeitos sonoros são famosos, principalmente pelas vozes pré-gravadas que, esforçadamente, podemos dizer que possuem uma boa qualidade, quando vemos a época de lançamento do jogo.

Curiosidade : Altered Beast recebeu inúmeras conversões para vários consoles, incluindo microcomputadores da época. A versão de Mega Drive é indiscutivelmente a melhor delas e muitos acreditam que a Sega emitia estas licenças com o objetivo dos consumidores perceberam que em seu console principal havia o melhor e “verdadeiro”. Achei interessante citar ao menos três delas nesta análise por causa de suas particularidades: 1) PC Engine: Trabalho de conversão bastante competente, com gráficos e fluidez inferiores a do Mega Drive, porém, na versão CD há diferenças no level design de algumas fases e imagens que apresentam a história junto de um narrador. Obrigatório para fãs da franquia; 2) Master System: muitos a odeiam, mas eu gosto, apesar da ausência da terceira fase, baixa fluidez e alta quantidade de flicker. Talvez ainda receba uma análise aqui na Epic Play; 3) NES: O gráfico é fraco e possui uma barra de informações que ocupa quase um terço da tela, seria uma completa perda de tempo se não houvesse um motivo, há três fases inéditas com três transformações, o Homem-Leão, o Tubarão e o Pássaro.

 

Analisando a situação do jogador, fica difícil acreditar que ele vai conseguir terminar o jogo.

Curiosidade : Assim, como de costume, Altered Beast também é mais uma franquia esquecida dentre tantas da SEGA. Oficialmente esta série teve duas sequências que possuem uma qualidade que divide opiniões. Em 2002 o Game Boy Advance recebeu o jogo Altered Beast: Guardian of Realms, game com um grande número de fases e diferentes transformações; toda a raiz da série esta aqui com várias inovações, vale conferir. Em 2005 foi a vez do Playstation 2 receber Project Altered Beast, este que herdou do original, praticamente, só as transformações. Foi altamente “detonado” pela crítica, ao ponto que sequer chegou a ser lançado nos Estados Unidos, uma pena pois o jogo tinha um grande potencial.

Jogado no Mega Drive.

Conclusão
Altered Beast sofria de um problema típico de jogos da SEGA portados de arcades, o pouco conteúdo. Nestas máquinas que tinham a função de ter experiências intensas e breves, muitas vezes acabavam deixando um gosto de quero mais quando jogados em um sofá de frente para a televisão da sala. Apesar de seus defeitos, o game ainda possui qualidades, como seus gráficos e trilha sonora, assim como sua ambientação madura e até demoníaca; com zumbis, demônios e crucifixos que jamais iríamos ver em um bundle de um console da famosa concorrente. Ou seja, mesmo Altered Beast não sendo um jogo maravilhoso, certamente ele exerceu seu papel no lançamento do Mega Drive, demonstrando o potencial do hardware e o novo público alvo que a SEGA tinha em mente.
Bom
  • Trilha sonora épica;
  • Possibilidade de ser jogado em multiplayer;
  • Vozes e gráficos inovadores para seu tempo.
Ruim
  • Campanha muito curta;
  • Baixo fator replay.
7.5
Habitual

Esqueci a Senha

Entre com seu nome de usuário ou e-mail. Você receberá pelo seu e-mail registrado um link que lhe criará uma nova senha.