Resident Evil 7 é um dos jogos de console mais populares que usa VR.
Por Jean Felipe à Epic Play —

Aconteceu no último mês a E3, principal evento de tecnologia e games dos Estados Unidos (ou do mundo, como preferir). Muitos dos desenvolvedores de hardware e software relevantes marcaram presença apresentando as novidades para os próximos anos e tendências para um futuro um pouco mais a longo prazo – ditando o ritmo das evoluções tecnológicas e foco de investimento nos próximos ciclos.

Um dos grandes destaques se dá a consolidação da Realidade Virtual (VR) como ferramenta definitiva para games. Se antes ainda restavam dúvidas sobre a real sobrevivência do VR nas próximas gerações de games e consoles, as marcas presentes mostraram que esse deve ser um dos caminhos a seguir nos próximos lançamentos.

Muito se falava sobre a Samsung, por exemplo. Conhecida pela inovação com o Gear VR, questionou-se se a marca coreana daria ou não prosseguimento ao produto que agrupa seus celulares de ponta de linha a um óculos de imersão – e a resposta foi SIM.

Centro de entretenimento “Voyager” trouxe experiência de 60 minutos de Assassin’s Creed Odyssey em VR, em São Paulo.

Farshid Fallah, diretor de relações com desenvolvedores, jogos e entretenimento da Samsung Electronics America foi questionado sobre qual deve ser o caminho a se seguir nos próximos anos e acabou deixando os fãs animados, garantindo que a linha de aparelhos S10 trarão novos recursos de Realidade Virtual e, principalmente, Realidade Aumentada. O executivo comentou ainda que a Samsung vai trazer “múltiplos produtos de AR e VR” nos próximos meses do ano, mas não ofereceu muitos detalhes sobre como serão esses dispositivos ou sobre datas de lançamentos.

O líder do setor de games da empresa, Fallah, ainda citou a linha Gear VR, iniciada no ano de 2015, que pode ganhar um muito esperado sucessor futuramente. “Foi um bom ponto de entrada”, comentou o executivo, “mas as coisas foram para frente e mudaram muito desde então”. Além de desenvolver as soluções para smartphones, a Samsung tem grandes projetos com realidade virtual a partir da plataforma Windows Mixed Reality. No ano de 2018 a multinacional lançou o HMD Odyssey, que também deve ganhar uma nova atualização durante este ano.

Os desenvolvedores de conteúdo para a tecnologia sabem que as funcionalidades são praticamente infinitas – dá até para jogar em um cassino virtual usando VR na plataforma da Betway, com realismo e imersão impressionantes.

O desafio é como tornar esta imersão cada vez mais profunda, com menos pontos de distração para o player.

Para isso, é necessário um potencial de processamento maior para os pesados e detalhados gráficos dos jogos e outros conteúdos. Muito por conta disso, a Qualcomm lançou recentemente um óculos-conceito de VR e AR para demonstração do chip Snapdragon XR1.

A intenção inicial não é lançar o dispositivo para a venda do público geral, mas apenas mostrar a capacidade de processamento de seu hardware. Com o nome “Smart Viewer Reference Design”, o headset pode ainda (e deve) servir como base para a criação dos óculos de algumas possíveis empresas parceiras que já demonstraram interesse em um aparelho com aspectos high end.

O chip realmente mostra seu poder de processamento ao desempenhar muito bem todas as funcionalidades exigidas de forma inteligente: dividindo a carga de trabalho com um smartphone ou PC em que os óculos estiverem pareados. Por isso, ele é capaz de fazer um rastreamento ultra preciso de movimentos em escala de ambiente com seis graus de liberdade, assim como rastrear os movimentos e gestos das mãos e braços, o que permite interações com objetos virtuais. Os óculos conseguem entregar uma resolução de 2K por olho.

Na E3 2019 participaram a Bethesda, EA, Ubisoft, Epic, Square Enix e mais.

Com tudo isso, produtores de games e softwares se mostram cada vez mais animados com as possibilidades de bons resultados de vendas. A realidade virtual se mostra cada vez mais presente na E3 e o principal lançamento apresentado pela desenvolvedora UploadVR foi o “After the Fall”, game em que até quatro jogadores exploram o cenário de apocalipse de uma cidade de Los Angeles completamente destruída. O jogo deve ser lançado em 2020, ainda sem data cravada, possivelmente apenas para PC.

Outro aguardado lançamento é o de “Wolfenstein Cyberpilot” que coloca o player em uma experiência de realidade virtual que recria várias das guerras ambientadas na Europa, todas vistas em diferentes perspectivas.

Ainda no campo de guerra, O Sniper Elite VR é outro jogo celebrado e foi desenvolvido em parceria da Rebellion com a Just Add Water, levando os jogadores para a Itália durante a 2ª grande Guerra Mundial.

Written by
Jean Felipe é diretor-geral e fundador da Epic Play. Você pode acompanhar mais sobre o seu trabalho no YouTube ou pode realizar doações para o desenvolvimento de projetos.

Esqueci a Senha

Entre com seu nome de usuário ou e-mail. Você receberá pelo seu e-mail registrado um link que lhe criará uma nova senha.